top of page

BTS 10 anos: como a boyband que nasceu do Hip-Hop conquistou o mundo e se tornaram ícones do K-Pop

Independentemente do gênero musical em que o BTS se envolve, a essência de sua abordagem social nunca se distancia muito.

BTS em 2023. Crédito: HYBE


"As circunstâncias se alteram, as pessoas se transformam e tudo se modifica", proclamou RM, líder do BTS, em 'Change Pt.2', uma canção intensa e vibrante presente em seu álbum solo intitulado 'Indigo', lançado em 2022. Essa obra musical confrontou as experiências da vida e experimentou navegar pelas mudanças, que são uma parte inerente e essencial de nossa existência. Durante a última década, o BTS empreendeu uma trajetória semelhante em sua música, progredindo em uma ampla gama de sons, cada qual acrescentando e expandindo sua identidade musical, evoluiu, quando refletimos sobre o passado, em uma tapeçaria rica, tecida com experimentação musical e curiosidade.


Tudo teve início com o movimento do hip-hop. O conceito original do fundador da Big Hit Entertainment (atualmente conhecido como HYBE), Bang Si-hyuk, era criar um grupo em torno de RM, um jovem rapper que estava brilhando na cena underground da Coreia. Antes do debut do BTS, essa visão se transformou em uma combinação de um coletivo de hip-hop com um grupo de ídolos. Com três rappers e quatro vocalistas, foi assim que o quarteto deu início à sua jornada em junho de 2013. A sua abordagem ficou evidente em sua primeira música lançada - "No More Dream" - uma faixa persistente que confrontou a pressão sobre os jovens para desejarem os sonhos que a sociedade nos diz que devemos buscar, desde uma boa educação até um trabalho respeitável e além.



Desde o início do gênero, os artistas de hip-hop têm utilizado sua música para expressar observações sobre suas vidas e os ambientes em que estão inseridos. Seguindo esse exemplo, o BTS incorporou essa abordagem em suas próprias composições musicais, por meio da trilogia "School", que inclui os álbuns "2 Cool 4 Skool" e "O!RUL8,2?" lançados em 2013, e "Skool Luv Affair" lançado em 2014. Esses álbuns trazem reflexões sobre questões que impactam diretamente a sua geração, como experiências amorosas na escola ("Boy In Luv") e tentativa de incitar uma revolta contra as várias emoções enfrentadas em busca de educação ("N.O").


BTS em 2013. Crédito: HYBE

Independentemente do gênero musical em que o BTS se envolve, a essência de sua abordagem social nunca se distancia muito. Podemos perceber isso claramente em "Go Go" de 2017 - uma música aparentemente leve e divertida, mas que na realidade traz uma análise profunda do hedonismo quase niilista presente na juventude contemporânea. Nessa canção, o grupo retrata a tendência de gastar dinheiro sem pensar no futuro, refletindo a falta de sentido que muitos jovens enxergam em economizar.



Conforme o BTS conquistou mais fãs, eles também exploraram uma variedade de estilos musicais. O álbum "Dark & ​​Wild", lançado em 2014, marcou sua última incursão completa no hip-hop, mas a próxima era revelou uma expansão de horizontes. Em "The Most Beautiful Moment In Life", o grupo deu destaque às suas habilidades vocais e incorporou elementos que iam desde EDM e pop alternativo até indie e R&B refinado.


Em 2016, 'Wings' expandiu ainda mais essa nova variedade sonora, seguindo esse caminho ao longo da trilogia 'Love Yourself', que por si só acrescentou uma maior diversidade musical ao BTS - incorporando elementos de jazz, influências latinas e muito mais. Essa evolução para a pluralidade refletiu a mudança no consumo de música na era digital - onde antes nos sentimos com um gênero único, agora abraçamos uma ampla gama de estilos musicais que nos tocam.


Em 2020, houve uma reviravolta global e o BTS também passou por mais uma transformação. Com o mundo mergulhado no medo da pandemia, eles decidiram utilizar seus talentos da melhor forma possível - oferecer conforto e apoio através de sua música. Para alcançar o maior número de pessoas e transmitir alegria em tempos difíceis, eles adotaram um estilo musical vibrante e radiante, com influências marcantes da música pop e um toque de elementos dançantes da era disco.

BTS em 2020. Crédito: HYBE


No seu segundo estágio - um período em que eles estão focando em atividades individuais por enquanto - o BTS está firmemente comprometido com a sua progressão. Essa herança tem sido clara desde o lançamento inicial do J-hope, intitulado 'Jack In The Box', no qual o rapper se afasta do seu estilo caracteristicamente alegre e explora sonoridades e conceitos mais sombrios e misteriosos. Experiência é a palavra-chave aqui – cada lançamento solo até agora parece que cada membro está tentando algo novo e se esforçando para fora de suas zonas de conforto, libertos de um pouco da pressão do sucesso do BTS.


Nos últimos dez anos, sempre que o BTS progrediu e se aventurou em novas ideias, eles nunca abandonaram o que haviam feito anteriormente. Em vez disso, eles o mantiveram vivo dentro de si, entrelaçando empreendimentos passados ​​em sua essência, criando algo único e inimitável para eles mesmos. RM proferiu a frase "O eu de ontem ainda sou eu" durante seu discurso na ONU em 2018, e esse princípio floresce na música do BTS.

117 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page