top of page

Bono Vox revela que U2 vai lançar um disco inspirado no AC/DC; saiba mais

Atualizado: 25 de out. de 2022

Segundo o músico, o U2 quer lançar "um álbum de guitarra barulhento, intransigente e irracional"

Imagem Reprodução

Bono Vox, líder da banda de rock U2, revelou recentemente que o grupo adoraria lançar um disco totalmente inspirado no AC/DC em um futuro não muito distante.

 


 

Em uma conversa com o The New York Times, o músico disse que o álbum aconteceria bem antes de 'Songs Of Ascent' - disco o qual eles estão provocando desde 2009. Entretanto, Bono também disse que 'Songs Of Ascent' está praticamente pronto, mas que ficará guardado até que a banda lance o disco "de guitarras barulhentas, inspiradas em AC/DC.



Falando sobre a atual sonoridade do U2 e os planos para o futuro, Bono explicou: “Todos nós cometemos erros. O vírus do rock progressivo entra e precisávamos de uma vacina. A disciplina de nossas composições, a coisa que fazia o U2 – melodia de primeira linha, pensamentos claros – tinha ido embora.

 


 

“Com a banda, eu estava tipo, não é isso que fazemos, e só podemos fazer essas coisas experimentais se tivermos as habilidades de composição. Então fomos para a escola de composição, e estamos de volta e estamos bem! Ao longo desses dois álbuns, 'Songs Of Innocence and Experience', nossas composições voltaram. Agora precisamos colocar o poder de fogo do rock 'n' roll de volta.


“Eu não sei quem vai fazer nosso fodido álbum de rock 'n' roll. Você quase quer um AC/DC, você quer Mutt Lange. A abordagem. A disciplina. A disciplina de composição. É isso que queremos.”

Bono também abordou recentemente que o U2 recebeu prováveis ameaças de morte do IRA (Exército Republicano Irlandês), gângsteres e um grupo de extrema-direita. Em seu novo livro que será lançado em breve, Bono relata algumas prováveis ameaças de morte que a banda recebeu.


Em algumas partes do livro, Bono dedica o espaço para abordar as inúmeras ameaças que o grupo recebeu do Exército Republicano Irlandês (IRA), gângsteres e alguns grupos de extrema-direita ao longo de sua carreira.

 


 

Bono assegura no livro que Gerry Adams, o falecido ex-líder do Sinn Fein, disse que a banda “fede” por causa de sua postura pró-paz. “A oposição do U2 aos paramilitares (de todos os tipos) custou ao IRA uma valiosa arrecadação de fundos nos EUA”, justifica o livro, saiba mais aqui.

 



113 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page