top of page

Bob Dylan fala sobre a polêmica de autógrafos: “Usar uma máquina foi um erro, desnecessário”

"Isso foi um erro grotesco e quero corrigi-lo imediatamente"

Crédito: Keith Baugh/Redferns

 


 

Bob Dylan se pronunciou sobre o ocorrido com os autógrafos feitos por uma máquina que reproduz automaticamente a assinatura de uma pessoa. O fato aconteceu nas edições do seu novo livro intitulado 'A Filosofia da Canção Moderna'. Ele pediu desculpas pela controvérsia em torno das cópias autografadas, dizendo que “usar uma máquina foi um erro de julgamento”.



O lendário músico apareceu nas redes sociais na sexta-feira (25), para se manifestar sobre o problema, alegando que usou uma caneta automática para as assinaturas depois que um “caso grave de vertigem” o impediu de assinar alguns dos livros de US$599.

 


 

“Fui informado de que há alguma controvérsia sobre as assinaturas em algumas de minhas impressões de arte recentes e em uma edição limitada de A Filosofia da Canção Moderna, escreveu ele no Facebook. “Eu assinei à mão cada impressão de arte ao longo dos anos e nunca houve um problema.” Ele continuou:


“No entanto, em 2019 tive um forte caso de vertigem e continuou nos anos de pandemia. É preciso uma equipe de cinco pessoas trabalhando de perto comigo para ajudar a permitir essas sessões de autógrafos, e não conseguimos encontrar uma maneira segura e viável de concluir o que eu precisava fazer enquanto o vírus estava em alta. Então, durante a pandemia, era impossível assinar qualquer coisa e a vertigem não ajudava. Com os prazos contratuais se aproximando, surgiu-me a ideia de usar um autopen, junto com a garantia de que esse tipo de coisa é feito 'o tempo todo' no mundo da arte e da literatura. Usar uma máquina foi um erro de julgamento e quero corrigi-lo imediatamente. Estou trabalhando com Simon & Schuster e meus parceiros de galeria para fazer exatamente isso. Com meus mais profundos pesares, Bob Dylan”

A editora de Dylan, Simon & Schuster, também falou sobre o ocorrido. Depois de inicialmente se recusar a oferecer reembolso, eles posteriormente emitiram um comunicado confirmando que Dylan não havia assinado alguns dos livros; eles também se desculparam pela confusão e ofereceram um reembolso total para quem comprou a edição autografada do livro. A questão veio à tona logo após o envio das cópias físicas dos livros, com os compradores identificando o que acreditavam ser 17 variações da assinatura de Dylan, como relatou o portal da Variety.

 



“Para aqueles que compraram a edição limitada de 'Filosofia da Canção Moderna', queremos nos desculpar”, escreveu a editora no Twitter. “Acontece que os livros de edição limitada contêm a assinatura original de Bob, mas em uma réplica escrita. Estamos abordando essas informações fornecendo a cada comprador um reembolso imediato.”


'A Filosofia da Canção Moderna', o primeiro livro original de Dylan desde 'Chronicles: Volume Um' em 2004, foi lançado em 1º de novembro. Possui mais de 60 ensaios escritos pelo cantor e compositor, abrangendo canções de artistas como Elvis Costello, Nina Simone e Hank Williams.

77 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page