top of page

Abigail é um filme moderno em torno da mitologia dos vampiros com ação, terror, comédia e reviravoltas

Abigail é aquele filme de puro entretenimento que explora o cinema atual com seu jeitinho de blockbuster

Crédito: Gamereactor


Vampiro, tradicional personagem dos filmes de terror, nunca perde seu lugar no cinema. Claro que muitas vezes a temível criatura chega num tom romantizado, teen e tentando conquistar as gerações mais novas, como foi o caso da saga Crepúsculo ou da série True Blood.

 

Da mesma forma, narrativas antigas sobre vampiros nunca saem de moda, inclusive, rendem produções modernas como foi o caso de Drácula - Última Viagem do Deméter (2023) que narra um dos capítulos do consagrado livro Drácula de Bram Stoker.

 

Os roteiristas Stephen Shields e Guy Basick, junto aos diretores Matt Bettinelli-Olpin e Tyler Gillett, são os responsáveis por Abigail (2024) com sua dose vampírica moderna e ágil. Acostumados a trabalhar com o gênero terror, Basick e Bertinelli-Olpin também estão por trás das produções de Pânico (2022) e Pânico VI (2023).



Abigail (Alisha Weir) é uma meiga garotinha bailarina. Ao sair de seu treino, ela é sequestrada por um grupo de criminosos e é mantida presa numa mansão. O grupo precisa esperar por 24 horas até que o pai de Abigail, um poderoso e misterioso homem, pague pelo resgate da filha o equivalente a 50 milhões de dólares.

 

Mesmo indicando que Abigail não é aquela garota doce e normal como aparentava ser, o filme vai entregar outro mistério. Os criminosos ali presentes, cada um com suas devidas habilidades e desconhecidos entre si, agora estão presos a uma mansão com muitos compartimentos e segredos. Vendo que a missão não será tão fácil assim, a desconfiança e o nervosismo começam a invadir o lugar e o próprio grupo.

 

O elenco, bem variado, conta com a boa atuação de Alisha Weir (que assume uma personagem que concilia vários sentimentos, desde carisma até cinismo). Outros já são bem conhecidos de muitos cinéfilos como o ator canadense Kevin Durand e Angus Cloud (ator falecido em 2023 que participou de Euphoria e que recebe justa homenagem no final do filme). O elenco também conta com Giancarlo Esposito (que personificou muito bem os papéis de vilão que costuma fazer desde Breaking Bad). 



Sabendo então que existe uma ameaça no interior da mansão, o grupo agora precisa acertar suas diferenças e juntos devem se defender. Mas isso não será tarefa simples. E entre muita ação, correria, pancadaria, golpes marciais, estacas afiadas e coreografias de balé, o filme se preocupa mais em criar um clima ágil e de reviravolta, não entregando logo seu real propósito e a intenção de cada personagem (do tipo ‘existe algo mais que precisamos descobrir’).

 


Espere por muitos momentos cômicos ou de ironia. Numa das cenas, um integrante pede para que alguém da equipe busque por alho para afastar o mal vampiresco. O problema é que o personagem traz cebola no lugar de alho. Entretanto, parece que o clássico ingrediente não fará tanto diferencial assim (nossos queridos vampiros ficaram mais fortes e imunes a alguns truques do passado).

 

Também não ficaram faltando exageros e aquela dose extra de gore como corpos explodindo, banhos e vômitos de sangue, mutilações. A truculência e a resistência da equipe somada a outros fatores que chegam como uma surpresa garantem lutas que não terminam facilmente, mas com muitas injúrias e feridas expostas.

 

O espectador juntará peças de outros filmes como Blade – O Caçador de Vampiros (1998), Anjos da Noite – Underworld (2003) e Deixe Ela Entrar (2008), produções que certamente influenciaram os roteiristas e diretores em distintas passagens da trama.

 

Abigail é aquele filme de puro entretenimento que explora o cinema atual com seu jeitinho de blockbuster e que consegue ainda manter a tradição da mitologia sobre vampiros. Conquistará sobretudo o espectador que gosta de ver a luta de homens com a temida criatura em meio a cenas que trazem variação entre ação, terror e humor.

 

 Abigail


Ano: 2024

País: Irlanda, EUA

Gênero: Terror

Direção: Matt Bettinelli-Olpin, Tyler Gillett

Roteiro: Stephen Shields, Guy Basick

Elenco: Melissa Barrera, Alisha Weir, Kathryn Newton, Kevin Durand, Giancarlo Esposito Dan Stevens

Duração: 109 min



 

NOTA DO CRÍTICO: 7,0

 

Trailer:


 


31 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page