top of page

A natureza e o minimalismo como propulsores da eletrônica do Pantha du Prince em Garden Gaia

Um disco experimental e cativante

Foto: Frédéric Boudin

Dono de vários pseudônimos como Glühen 4 e Panthel, foi só em 2002 que o músico alemão Hendrik Weber resolveu adotar de vez Pantha du Prince para seu projeto musical. O artista ganhou logo reconhecimento quando, em 2004, lançou “Diamond Daze”, um álbum que conseguia juntar tanto as influências do Shoegaze (Ride e Slowdive) bem como do Techno de Detroit (pegando referências de bons nomes como Carl Craig e Derrick May).


Entretanto, a sonoridade do projeto foi mudando ao longo dos anos e atraiu a atenção de diversos grupos/artistas. Caso do álbum “XI Versions Of Black Noise” (2011), disco de remixes das faixas de "Black Noise" (2010), que teve a participação de nomes famosos da música mundial como Four Tet e Animal Collective.


Em 2020, com o lançamento de "Conference Of Trees", o projeto musical passou a elaborar um contorno mais minimalista, orgânico, pautado em sons da natureza e, mesmo com sua base eletrônica, instrumentos acústicos como pianos e cordas se sentiram confortáveis na sonoridade cada vez mais experimentalista e multifacetada do projeto musical.


A mesma ideia segue presente no mais recente álbum, “Garden Gaia”. Exemplo é a abertura com ‘Open Day’ que traz uma eletrônica sutil permeada por sintetizadores e xilofones, em meio a ruídos naturais como água corrente e canto de pássaros, tudo num bloco sonoro que cresce gradativamente.

O flerte com outros gêneros também é algo possível, tanto que ‘Start A New Life’ tem uma aproximação com o Folk sabendo empregar muito bem cordas. Embora a canção ‘Crystal Volcano’ guarde uma lembrança dos primeiros trabalhos do músico que se espelhavam bastante na House Music e no Techno de Detroit, a mudança surge na melodia suavizada, menos dançante e com batidas mais límpidas. A adoção de samplers vocais é um recurso que cada vez ganha mais espaço na discografia de Weber, aqui eles asseguram o charme de faixas como ‘Blume [Bendik HK Edit]’ e ‘Heaven Is Where You Are’.


Em ‘Liquid Lights’ e ‘Mother Drum’ nota-se como a amizade de Weber com bandas como Animal Collective pode ter determinado essas mudanças sonoras. As duas canções não são facilmente digeridas a primeira audição e escondem muitos detalhes captados em longo prazo: ruídos, texturas, a percussão diferenciada e estilhaçada. A paisagem cinematográfica de ‘Golden Galactic’ é uma articulação criativa da Eletrônica com o Neo-Clássico, oferecendo coesão entre elementos orquestrados e sintetizadores.


Chegando a duas décadas de existência, Hendrik Weber e seu Pantha du Prince seguem por novas direções para o futuro, sem nunca perder o mérito e a aprendizagem do passado. Criando uma Eletrônica investigativa e criativa, mostra que o gênero sempre conquista seu lugar no cenário musical.

 


Garden Gaia

Pantha du Prince


Lançamento: 26 de agosto de 2022

Gênero: Música Eletrônica, Neo-Clássico

Ouça: "Star A New Life", "Crystal Volcano", "Golden Galactic"

Humor: Atmosférico, "Provocante", Hipnótico


 

NOTA DO CRÍTICO: 7,5

 

Spotify:
















 

Veja o vídeo oficial de ‘Blume [Bendik HK Edit]’:


 

32 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page